Oiê meu povo!!!! ^ヮ^/

Um capitulo de AD pra espantar a crise de abstinência!!! \*0*/

Esse capítulo tá fofo, emocionante, irritante - Tudo por partes! hahahah Então vamos lá!

Uma boa noite a todos! ^3^ ~ ♡

Lena.
Para relembrar um dos bts. ^^
___________________________________________________




Cap. 204: Chamando os filhos para casa.




Nos últimos dias, como não havia nenhum assunto urgente que precisava ser apressado no composto militar, Gu Wei Ting ficou relativamente livre para atender a seus próprios assuntos. Por alguma razão indiscernível, de repente, ele ficou com vontade de ir dar uma olhada no ninho depravado de Bai Luo Yin e Gu Hai.
Quando a porta foi aberta, um clima bem opressivo pode ser sentido permeando todo o cômodo, deixando um cheiro estranho circulando. Talvez tenha ficado esse cheiro porque as janelas não eram abertas há um longo tempo.
Assim que Gu Wei Ting puxou as cortinas da janela para o lado e abriu o viro para dar uma olhada no lado de fora, ele foi encontrado por uma rua comercial movimentada, lotada com fluxos inacabáveis de carros e pessoas se movimentando em todas as direções.
Quando ele deixou os olhos viajarem um pouco mais além, ele notou um veículo entrando na vizinhança. Seu coração se apertou de repente quando duas pessoas saíram do carro, mas, quando ele deu outra olhada, aquelas silhuetas desapareceram, deixando apenas as ruas barulhentas encherem seus ouvidos.
Na sacada estavam vários vasos de flores que tinham começado a murchar. As plantas, antes coloridas e floridas, agora tinham perdido metade de seu brilho em uma competição para combinar com o clima apagado da sala. O regador que havia sido jogado para fora ainda estava lá, mas, depois de congelar e descongelar durante o inverno inteiro, agora ele estava deformado.
Gu Wei Ting esquadrinhou os cômodos com seus olhos curiosos. Sobre a bancada da cozinha haviam louças como talheres, copos e pratos, sendo que todos eram em conjunto. Todos os temperos estavam separados e guardados organizadamente em um pequeno armário suspenso. A tampa de uma vasilha contendo sal ainda estava aberta como estivera antes e o próprio sal já tinha virado pequenos nódulos endurecidos. Dentro da vasilha estava uma pequena colher, silenciosamente esperando para ser usada.
Deixando seus olhos se demorarem sobre a vasilha por mais alguns segundos, Gu Wei Ting não pode nem começar a imaginar como seria a imagem se Gu Hai usasse suas duas mãos grandes para segurar uma colher tão pequena. O que era ainda mais difícil de imaginar era como Gu Hai poderia ficar de pé ali calmamente, cozinhando e trabalhando em coisas tão extremamente tediosas e triviais.
Então, seus olhos se moveram para o lado. Os vegetais uma vez verdes haviam murchado há tempos, e qualquer folha restante que tinha lhes dado um vislumbre de vida agora caíram fracamente na borda da cesta. Os vegetais dentro da cesta também estavam em um estado pesaroso. Manchas de pontos escuros estavam espalhados por toda a superfície das batatas, deixando ainda mais evidente que elas já tinham mofado há um longo tempo. As berinjelas, por outro lado, tinham murchado e apodrecido até estarem do tamanho de um dedo mindinho. A uma coisa restante que não parecia completamente ruim era uma cebola. Apesar dela ainda parecer boa, assim que Gu Wei Ting a pegou, ele percebeu que a camada mais externa da cebola que estava na cesta tinha apodrecido, escorregadia e gosmenta.
Quando ele abriu a geladeira, havia todo tipo de refeições cozidas, refrigerantes, carnes marinadas e vegetais... todos os quais estavam bem apertados lá dentro, mas ainda assim, eles estavam empilhados de modo bem organizado. Talvez, antes de serem forçados a fugir, eles quiseram preparar um almoço extravagante, mas, infelizmente, não tiveram tempo.
Gu Wei Ting fez seu caminho para os banheiros. Felizmente, os dois banheiros ainda estavam limpos. A capa do sanitário fora trocada por uma nova em folha antes deles saírem e, contrário ao comportamento desleixado deles, a banheira era limpa totalmente depois de casa uso também. Estranhamente, havia um pato careca sentado silenciosamente sobre o armário. Originalmente, o pato tinha um exuberante monte de penas, mas as mãos inquietas de alguém arrancaram todas elas.
Empilhado organizadamente na prateleira, havia um conjunto de artigos de higiene pessoa arranjados para duas pessoas. Um frasco de sabonete facial estava praticamente cheio enquanto o outro estava quase vazio. Estava claro que os dois usavam esses produtos de cuidados para a pele juntos e não diferenciavam qual era “meu ou seu”. Para eles, qualquer que pertencesse para cada não importava, já que eles pertenciam um ao outro. [Lena: Ớ͜Ờ~]
Gu Wei Ting pegou o porta-escovas de dentes e examinou cuidadosamente os detalhes nele. Impressa na superfície da caneta estava a imagem de Gu Hai. Aquele Gu Hai gravado permanentemente ali tinha um bico adorável e levado; uma expressão que merecia uma boa surra de cinto. Na outra caneta tinha uma imagem de Bai Luo Yin com a mesma expressão levada. Gu Wei Ting colocou as duas canecas lado a lado e, como esperado, os dois bicos se uniam em um beijo. [Lena: Huahuahuahuahuah Tão recém-casados! Que fofos! >w<]
Sério, eu não quero admitir que esses dois idiotas são meus filhos!
Com apenas um olhar, não era difícil de notar que o quarto tinha sido arrumado, já que estava muito mais organizado em comparação à última vez que ele viera. Havia apenas um grosso edredom e um longo travesseiro macio colocados confortavelmente sobre a cama. Julgando pelo arranjo simples, era fácil adivinhar como os dois geralmente dormiam. Quando ele abriu o armário da esquerda, havia uma caixa de camisinhas com todas as cores possíveis lá dentro, e no armário da direita havia uma caixa de lubrificante contendo todos os sabores possíveis. [Lena: BWAHAHAHAHA Estou envergonhada em seu lugar! -(。ノ<)]
Depois de um tempo, Gu Wei Ting sentou-se na cama e silenciosamente olhou em volta deste quarto pequeno, mas caloroso e aconchegante. Ao contrário de sua expressão séria, havia todo tipo de emoções circulando em seu coração. [Lena: Estou ficando esperançosa com a atitude e reação dele. >,<]
__
Já era o nono dia desde que eles haviam chegado no Tibet. Gu Hai e Bai Luo Yin passavam a maior parte de seus tempos dando voltas e explorando cada local cênico bem conhecido. Ocasionalmente, quando eles estavam cansados, eles caminhavam pelas pequenas ruas para ganhar mais conhecimento das tradições locais.
Quando Gu Yang ligou, Gu Hai e Bai Luo Yin estavam sentados em um barco rebocado de couro nas laterais, no meio do Lago Yang Zhuo Tong Cuo, desfrutando da visão da bela paisagem montanhosa em volta deles.
Hoje o vento que soprava pelo lago estava anormalmente forte, tornando um pouco desconfortável quando eles abriam as bocas para respirar.
“Alô?” Gu Yang não conseguia escutar mais nada além do vento uivante.
Gu Hai também usou toda a sua força para gritar alto, “Ge, o que houve?”
“Seu pai concordou em não interferir mais com vocês dois. Apressem-se e voltem.” [Lena: OMG! OMG! OMG! So happy!!!]
“O que? O que você disse?”
Sentindo-se bem preguiçoso para se repetir, Gu Yang desligou o telefone imediatamente após isso.
Enquanto o vento forte continuava a soprar incansavelmente por eles, Bai Luo Yin puxou rapidamente a gola, que cobriu metade de seu rosto. Então ele ajudou Gu Hai a puxar a dele também.
Assim que Gu Hai abaixou o celular, ele não pode evitar de perguntar, “O que está acontecendo?”
“Eu não sei. Tudo o que ouvi foi que meu pai alguma coisa, alguma coisa, então a ligação terminou.....” encolhendo os ombros ligeiramente, Gu Hai colocou o celular de volts no bolso. Nem um pouco preocupado, ele disse mais algumas palavras, “Não se preocupe com isso. Se ele quer nos perseguir, ele pode fazer isso..... mestre, por favor, guie o barco um pouco mais longe!”
Dois dias depois, Gu Yang ligou de novo, “Vocês já chegaram em Pequim?”
Ainda no torpor de ter sido arrancado de seu sono, Gu Hai respondeu fracamente, “O que você quer dizer com ‘vocês já chegaram em Pequim’?”
“Não me diga que vocês ainda não saíram?”
“Sair? Sair para onde?”
O tom de Gu Yang endureceu imediatamente com um toque gélido, “Onde vocês estão agora?”
“No Tibet!” Gu Hai disse enquanto bocejava e sentava.
“Eu vou lhes dar três dias. Façam as malas agora e entrem no avião de volta para Pequim imediatamente.” [Lena: Tá louco?! E o carro, tá cagado? Ó_ó]
Em uma fração de segundo, o estado mental exausto de Gu Hai ficou desperto, “Voltar para Pequim? Por que nós voltaríamos para Pequim?”
“Não me diga que você não ouviu nada do que eu disse quando liguei dois dias atrás?”
“Eu estava no lago quando você ligou. O vento estava forte demais naquele dia, e mais, todos os pássaros estavam gorjeando muito alto a nossa volta. Eu não ouvi o que você disse claramente. Você pode dizer de novo?”
Humpf! Gu Yang bufou friamente. “Parece que você está levando uma vida relaxada.”
Sem dar atenão a ele, Gu Hai olhou para Bai Luo Yin, que ainda estava dormindo profundamente, e acariciou o corpo dele. Então ele perguntou preguiçosamente, “O que está acontecendo exatamente?”
“Seu pai concordou em não interferir mais com vocês dois. Ele deu cinco dias pra vocês voltarem. Ele disse que precisa lhe ver até lá. Vocês dois já perderam dois dias, então só têm mais três sobrando. Saiam o mais rápido possível.”
Gu Hai riu sombriamente, “Você está nos armando uma armadilha, não é? Você não tem nenhuma boa intenção!”
“Quem está fazendo uma armadilha? Pare de besteira e volte imediatamente.”
A mão que Gu Hai usava para deslizar lentamente de cima para baixo no corpo de Bai Luo Yin parou de repente antes da expressão dele finalmente voltar à cor normal.
“Você realmente está dizendo a verdade?”
Gu Yang bufou, então riu de novo, “Existe alguma coisa empolgante em enganar alguém com seu QI?”
Tendo esquecido momentaneamente que a mão dele ainda estava sobre o peito de Bai Luo Yin, Gu Hai apertou bruscamente a pele sensível com muita força. A dor repentina arrancou Bai Luo Yin imediatamente de qualquer que fosse o sonho que ele estava tendo. Porém, logo antes que Bai Luo Yin pudesse entrar em erupção com um vulcão em seu ponto de fusão, Gu Hai estendeu a mão e acariciou o cabelo dele algumas vezes. Em apenas alguns segundos, a sensação gentil embalou Bai Luo Yin de volta ao sono.
No tempo que Bai Luo Yin acordou de novo, Gu Hai já estava sentado em uma posição reta na cadeira ao lado da cama com uma expressão bem ansiosa delineando seu rosto sério.
“O que está acontecendo?” Bai Luo Yin lembrou vagamente de ouvir Gu Hai conversando com alguém ao telefone mais cedo naquela manhã.
Gu Hai soltou um suspiro, “Meu pai não vai mais se meter entre nós.”
A expressão de Bai Luo Yin estava bem calma quando sentou-se lentamente e lançou um olhar tranquilo para Gu Hai, “Então, com o que você ainda está preocupado?”
“Eu não sei.” O olhar de Gu Hai ficou mais brando, “Eu só acho que está bem chato agora.” [Lena: Whathahell! XD hahaha]
“..... você é doido.”
Olhando para ele novamente, Bai Luo Yin vestiu suas roupas, saiu da cama, então arrastou suas pernas preguiçosamente para o banheiro. Em segundos, ele voltou com a boca cheia de pasta de dentro e olhou diretamente para Gu Hai. Havia um toque de calor e indisposição na forma que seu olhar recaiu sobre a pessoa diante dele.
“Na verdade, eu também não quero realmente voltar para casa, hehe.....”
Gu Hai levantou e andou até o banheiro. Com uma expressão de preguiça similar à de Bai Luo Yin, ele inclinou seu corpo pesadamente contra a moldura da porta. Um raio de luz com um toque de maldade apareceu no olhar dele.
“Que tal nós ficarmos aqui por mais alguns dias?” [Lena: Heh. Parece que o negócio do GH é conseguir a atenção do pai contrariando ele. XD]
“Já chega.” Bai Luo Yin lavou a boca, “Você não quer voltar para casa?”
O canto dos lábios de Gu Hai se arrebitou antes dele dizer mais algumas palavras, “Eu tenho pensamentos conflitantes,” então ele volta inquieto para o quarto.
Quando Bai Luo Yin finalmente voltou do banheiro, Gu Hai já estava esparramado na cama grande, gemendo como se estivesse com dor por causa de algum tipo de disparate imaginário que ele acabara de inventar. Vendo-o assim, Bai Luo Yin também se deitou ao lado dele e segurou sua mão.
Os dois que estiveram sofrendo juntos uivaram e lamentaram-se dramaticamente sobre suas mágoas.
Um momento depois, eles repentinamente levantaram de um pulo e começaram a arrumar suas coisas animadamente.
Vamos voltar para casa. Nós finalmente podemos voltar para casa!!
Como se esporeando um cavalo à sua velocidade máxima, Bai Luo Yin e Gu Hai tentaram chegar em casa o mais rápido que podiam. No entanto, no tempo que eles voltaram, já era fim de abril.
Quando Bai Han Qi soube que Bai Luo Yin estava voltando para casa, ele ficava do lado de fora da casa todos os dias com grande expectativa. A expectativa dele pelo retorno do filho era tão alta que seu pescoço tinha crescido bastante longo. Tão longo que podia ultrapassar o de uma girafa. Finalmente, o filho pelo qual ele tanto esperava estava realmente voltando. [Lena: Nyaa~ Papa Bai, kawaii! ]
Pouco tempo depois, os dois voltaram para suas respectivas casas.
Para poder ver Bai Luo Yin o mais rápido possível, Tia Zou não tinha ido para o restaurante hoje. Ela até havia tirado a medida de sair e fazer compras mais cedo pela manhã para que a mesa da cozinha estivesse cheia com pratos de comida. Depois de terminar rapidamente, ela começou a pairar pela porta sem nenhuma restrição. Ela permaneceu ali até as 2 horas da tarde, antes de finalmente ver a sombra de Bai Luo Yin entrar em sua linha de visão. Com apenas uma olhada, imediatamente suas lágrimas começaram a rolar descontroladamente.
“Minha criança, você deve ter sofrido muito lá fora, não é? Olhe, seu rosto está todo queimado agora. Apenas olhe, você está tão escuro, tão escuro...”
Bai Luo Yin, na verdade, sentiu-se envergonhado de admitir para sua família que ele estava bronzeado por viajar tranquilamente e relaxar.
“Rápido, vá ver seus avós. Sua avó chorou a noite toda porque ela não lhe viu na Véspera de Ano Novo. Ela até pensou que alguma coisa tinha acontecido com você. Não importava o que disséssemos para consolá-la, ela não escutava.” [Lena: Ounn~ Saudade, vovó Bai!]
O coração de Bai Luo Yin afundou enquanto ele rapidamente andou para o quarto de seus avós.
No momento que Vovó Bai viu Bai Luo Yin, ela se desfez em lágrimas exatamente como uma criança, “A vovó pensou que você tinha morrido....” ela murmurou entre soluços.
Olhando para ela, Bai Luo Yin não sabia se ria ou chorava. Ele rapidamente começou a apaziguá-la, “Vovó, eu não estou aqui agora? Durante o Ano Novo, eu tive que ir a outra província para participar de umas atividades. Foi uma atividade muito importante que a escola organizou e, se eu não fosse, eles não me deixariam prestar os exames de entrada da universidade.”
Vovó Bai perguntou novamente, “Você nem sentiu saudade da vovó?” [Lena: Ai, meu coração... >̯ <]
Àquelas palavras, Bai Luo Yin não pode deixar de sentir uma pontada de dor em seu coração. Ele segurou a mão de Vovó Bai com firmeza e disse, “É claro que tive saudades. Eu senti sua falta todos os dias.”
No entanto, pelo que parecia, Vovó Bai não tinha ouvido o que ele acabara de dizer. Ela perguntava a mesma incessantemente, de novo e de novo, “Você nem sentiu saudade da vovo? ..... Você nem sentiu saudade da vovo? ..... Você nem sentiu saudade da vovo? .....”
Vovó Bai disse cada uma daquelas palavras com muita clareza, ao ponto de até ela ficar incerta de quantas vezes isso deve ter circulado por sua mente frágil.
Agora, Bai Luo Yin estava à beira das lágrimas. Ele se levantou para pegar uma toalha para enxugar o rosto inchado da Vovó Bai.
Vovô Bai, por outro lado, só conseguia puxar os cantos de seus lábios em um pequeno sorriso assim que viu o rosto de Bai Luo Yin. As complicações de seu derrame estavam mais aparentes agora, já que ele só conseguia murmurar ‘ah’ e sorrir um pouco mais para seu neto, incapaz de dizer mais nada. [Lena: T^T]
__
Assim que o carro de Gu Hai entrou na vizinhança, ele imediatamente viu Gu Yang parado na entrada de seu prédio residencial. Gu Hai ficou sentado no carro e começou a sorrir, mas Gu Yang, em vez disso, o encarou com um rosto inexpressivo. Gu Hai saiu do carro e andou até Gu Yang.
“Como você conseguiu ficar tão queimado?”
Para isso, Gu Hai meramente sorriu de orelha a orelha, “Como é brilhante esse tom de pele.”
Gu Yang riu friamente, “Seus dentes estão tão brancos.”
Depois de mais algumas palavras trocadas, os dois entraram no elevador lado a lado. Enquanto o elevador subia, Gu Yang lançou um olhar a Gu Hai, para o qual Gu Hai também devolveu um olhar. Mas, então, seus olhos se encontraram. Seus olhares pareciam bem incompatíveis, como fogo e água. Talvez eles dois tenham relembrado do incidente relacionado ao chefe da vila Gu e do fraco covarde.
Assim que eles alcançaram a entrada da casa, Gu Yang finalmente falou, “Seu pai está aí dentro.”
Os passos de Gu Hai pararam por um momento enquanto ele olhava vigilante para Gu Yang.
“Que? Você já está na porta, mas ainda está com medo que seja uma armadilha? Onde foi parar toda a sua coragem?”
Gu Hai resmungou friamente, então entrou.
Naquele momento, Gu Wei Ting estava sentado no sofá em uma posição ereta e imóvel. A expressão dele não mudou muito mesmo depois de ver seu filho, quem ele havia ansiado que retornasse.
“Pai.” Gu Hai chamou fracamente.
Gu Wei Ting não respondeu. Não estava claro se ele tinha ouvido ou se ele estava disposto a reconhecer a presença de Gu Hai. [Lena: Mano, que familiazinha complicada... coitado do Da Hai... ú.ù]
Ainda sem ouvir resposta, Gu Hai pegou sua mala e entrou em seu quarto. Então ele colocou suas coisas e chão e mudou para roupas confortáveis antes de sair para pegar um copo d’água. Só demorou alguns segundos para ele beber o copo inteiro.
“Eu disse que não vou interferir com vocês dois, mas isso não quer dizer que vou apoiá-los também. Se você quer minha aprovação, espere até sua próxima vida.” [Lena: Aff. Quem liga?! (_)┌∩┐]
Gu Hai secretamente disse a si mesmo.
Eu não preciso de sua aprovação. Se você não nos importunar já é o suficiente.
Apesar de Gu Hai ter tido esses pensamentos, ele ainda respondeu por cortesia, “Obrigado pela sua compreensão, pai.”
Depois de ouvir aquilo, a expressão de Gu Wei Ting deu uma volta para melhor quando ele olhou para Gu Hai. Na verdade, ele estivera observando Gu Hai secretamente no momento que ele pisara porta adentro. Era só que ele não tinha encarado abertamente ou dado uma olhada adequada em Gu Hai.
Gu Hai queria agradecer a si mesmo por ter feito uma viagem para o Tibet porque a mesma fez Gu Wei Ting acreditar que ele havia passado por dificuldades, a ponto de não ter comido bem e ter que dormir do lado de fora em noites frias. No todo, provavelmente parecia que ele não tinha passado nenhum momento prazeroso lá. Se Gu Wei Ting soubesse que Gu Hai tinha passado seus dias como se estivesse em uma romântica lua de mel, ele considerou que seu pai lhe mandaria para longe para cumprir uma sentença de morte em um ataque de fúria.
“Deixe-me perguntar, que planos você tem com relação à universidade?”
“Eu não tenho nenhum plano.” Gu Hai respondeu com sinceridade.
A uma curta distância, Gu Yang olhou para Gu Hai com uma expressão sombria.
O desagrado apareceu facilmente no olhar de Gu Wei Ting, “Você não tem nenhum plano? Então, o que você quer fazer? Você vai apenas prestar os exames de admissão na universidade? Com sua habilidade, mesmo que se mate de porrada, no máximo você só conseguirá entrar em uma universidade inferior. Você não tem vergonha de si mesmo?” [Lena: ()]
Gu Hai não tinha a mínima intenção de discutir esse assunto com Gu Wei Ting. Mesmo que ele falasse o que tinha em mente, Gu Wei Ting não entenderia. Em vez disso, ele podia muito bem manter a boca fechada e fazer o que quisesse fazer.
“Largue esse cigarro agora!” Gu Wei Ting gritou alto em ira.
Sem nenhuma outra opção, Gu Hai colocou o cigarro de volta na embalagem.
Um segundo depois, Gu Wei Ting apontou o dedo diretamente para Gu Hai. “Vou dar-lhe uma sugestão. Ou você se alista ou faz o exame de entrada para se tornar um cadete da defesa nacional. Se você ficar na China, essas são suas duas únicas opções.” [Lena: Eu fiquei esperançosa com a atitude dele?! Retiro o que disse! (#`Д´)Que homem asqueroso! Alguém dá um tiro nele! Ai que raiva!! Seu maldito egocêntrico desgraçado!!! ()ノ彡┻━┻ ]
“Será que você pode parar de me criticar e me dizer o que fazer da minha vida?”
Vendo a atitude de Gu Hai, Gu Wei Ting ficou com raiva imediatamente. “Eu já lhe dei toda a liberdade que podia lhe dar!” [Lena: Pffft Uhum... *sussurra* Fuck you.]
Bem quando Gu Hai estava prestes a falar de novo, Gu Yang interrompeu e falou primeiro. “Tio, vamos esperar até que os exames de admissão tenham terminado antes de discutir este assunto novamente. Primeiro, deixe Xiao Hai descansar por alguns dias.”
As pupilas frias e afiadas de Gu Wei Ting encararam Gu Hai intensamente por um longo tempo antes dele finalmente se levantar e resolver se retirar. Porém, assim que ele chegou à porta, ele parou bruscamente. Então, sem ao menos virar a cabeça para trás, ele disse, “Eu tirei as duas caixas de seus armários de cabeceira!”
Foi só depois que Gu Wei Ting tinha entrado no elevador que Gu Hai percebeu o que ele queria dizer e reagiu. Ele rangeu os dentes duramente e gritou enquanto fumegava de raiva:
“Velho – ladrão – pervertido!”
*****

Fanart YuZhou
(Tradução grosseira. As falas são todas do ZZ.)
"Dois tigres~Dois tigres~ Correm tão rápido~Correm tão rápido~
(famosa canção infantil.)
"Não diga sempre que não entendo~ não diga sempre que não sinto dor.~ O vento sopra~ [parte da música "Walk slowly" do ZZ] Grande idiota, tem um mosquito morto aqui.
*ZZ brincando de trava-línguas*
"........ Grande idiota, você está me abraçando com muita força. Não consigo respirar."

9 Comentários

  1. KKKKKKKKKKKKKKK Esse pai GRRR não tem 1 cap dele que não dê vontade de mata-lo!! E ainda levou a caixa (rsrs) dos nossos meninos af, como se eles não fossem capazes de comprar mais.

    ResponderExcluir
  2. Enfim de volta. Gente duas famílias completamente diferentes, recepções diferentes. Acho que o GH encontrou na família de BLY o amor que ele perdeu da mãe e nunca mais teve. Tô tão feliz que eles estão de volta.

    ResponderExcluir
  3. Velho com um pai desses quem precisa de inimigos..
    Força Gu Hai 😍👊

    ResponderExcluir
  4. Puxa vida, como tenho pena do Gu Hai por não ter mais a mãe que o amava de verdade e era boa para ele. Sobrou então para o meu Gu, esses dois monstros, dois trastes malvados, peçonhentos, sem coração e sem escrúpulos. Enquanto BLY, tem uma família tão linda, cheia de amor e afeto, mas há tempos o Gu Hai já faz parte da família de BLY também, onde ele também é muito amado, principalmente, é lógico, pelo Yin Zi, e isso me deixa super feliz.

    ResponderExcluir
  5. Preocupado estou pq está chegando o fim do livro 1 e bom pelos spoilers que me deram terá muitas emoções, vlw Lena 😘

    ResponderExcluir
  6. Isso que são recepção diferentes mas não da nada o GH tem muito amor da família do BYL

    ResponderExcluir
  7. O contraste é algo muito evidente, a familia do Luo Yin o recebe com todo o amor possível, já o pai do Dai hai é um tanto quanto mais frio, mas aposto que aquele velho pervertido, como dise o Dai Hai kahajajaj, no fundo no fundo se importa com ele

    ResponderExcluir
  8. Essa pai do Gu Hai em... haja paciência!

    ResponderExcluir