Oi pessoal!

Espero que todos tenham tido (ainda estejam tendo) um ótimo Dia das Mães. Parabéns à todas as mamães!!! \^0^/

Bem, aqui está, Addicted para vocês que já estavam com saudade do Yin Zi e do Da Hai! <3

Um beijão!



Lena.

 Cap. 21: Gengibre fica mais picante quanto mais envelhece



[N/T: O título é um ditado que significa que quanto mais velho você fica, mais sabedoria você tem.]


No caminho de casa durante o recesso de meio-dia, Bai Luo Yin estava com um humor extremamente complexo. Por um lado, ele tentava pensar em como fazer Shi Hui perder todas as esperanças nele, terminar completamente com ele... de vez. Por outro lado, ele estava pensando em como ensinar uma lição a Gu Hai que o fizesse parar de perturba-lo.

Ele pesou os dois problemas cuidadosamente e decidiu que o problema com Gu Hai era prioridade.

O seu relacionamento com Shi Hui seria uma longa batalha. Mas, primeiro, ele teria que lidar com aquela pessoa irritante. Só então ele poderá ter energia para lidar com problemas de relacionamento.

O tempo estava insuportavelmente quente e seco, mesmo que o outono já estivesse se esgueirando. Ele tivera uma tigela de sopa mais cedo, mas, só de andar alguns passos, a testa dele já estava coberta de suor.

Quando vai chover?

Bai Luo Yin sacudiu sua roupa para fazer algum vento entrar. Ele olhou para as lojas da rua que estavam decoradas com plantas e flores. Enquanto ele descia a rua, duas palavras de repente chamaram sua atenção; ele não pôde evitar de parar.

Óleo lubrificante...


O sino tocou para o primeiro período do turno da tarde. Gu Hai, de repente, notou que tinha uma mancha preta em seu braço. Ele deslizou dois dedos sobre a superfície da mesa e rapidamente percebeu que os dois ficaram pretos. Como poderia ter pó preto sobre toda sua mesa sem causa ou motivo? Mas Gu Hai facilmente descobriu que tinha sido Bai Luo Yin que passara o pó.

Infantil...

Gu Hai bufou ar frio enquanto tentava limpar sua mesa com uma toalha molhada. Ele levantou a mão para pedir licença por um momento e, depois de ter permissão para sair, Gu Hai levantou e saiu fechando a porta ao passar, porque o vento estava muito forte do lado de fora hoje.

Quando Bai Luo Yin ouviu a porta gentilmente abrindo e fechando, os cantos de seus lábios se curvaram em um sorriso fino.

Depois de lavar as mãos, Gu Hai voltou para a sala de aula pela porta de trás e descobriu que esta estava trancada pelo lado de dentro. Ela não abria por mais que tentasse girar a maçaneta. Ele bateu na porta gentilmente e pediu para um colega vir abrir a porta para ele, mas esta parecia estar emperrada, pois o colega não parecia capaz de abri-la mesmo usando toda a força.

Ele também tentou a porta da frente, mas não importava como ele virasse, a maçaneta não abria também.

Parece que alguém mexeu nessas portas.

Gu Hai lembrou do pó preto na sua mesa mais cedo. Ele rapidamente entendeu que isso deveria ser coisa das mãos habilidosas de Bai Luo Yin. Sujar sua mesa não era o objetivo principal de Bai Luo Yin; o objetivo principal era tranca-lo do lado de fora da sala.

Você acha que mexendo nas portas eu não seria capaz de entrar?

Gu Hai lentamente andou para trás do prédio. Ele ficou de pé no pátio de trás olhando para cima, vendo que as janelas da sala 27 estavam bem abertas. Apenas três andares acima. Isso era coisa fácil para Gu Hai que treinara escalada desde a idade de cindo ou seis.

Ele olhou para a esquerda e para a direita e não viu ninguém. Gu Hai colocou seu pé no peitoril da janela enquanto suas mãos se agarravam no tubo da calha. Ele rapidamente subiu até o terceiro andar; ele se movia energicamente. Cada passo era leve, mas estável e rápido. Em menos de meio minuto Gu Hai já escalara as janelas até o terceiro andar. Ele espiou para dentro e aproveitou a oportunidade quando o professor se virou para escrever alguma coisa no quadro. Ele rapidamente soltou suas mãos do tubo e as colocou no peitoril da janela...

Puta que pariu, como eu escorreguei?

Bai Luo Yin ouviu um barulho alto vindo do lado de fora e seu coração se sentia contente e revigorado, como se tivesse acabado de engolir cem pedaços de doces de menta. Ele não tinha sentido tanta satisfação como hoje. Era como se num segundo ele estivesse de pé numa campina, e no seguinte estivesse andando ao longo da costa do mar azul...

Bang! Bang! Bang!

As batidas altas na porta repentinamente pararam todos os pensamentos de Bai Luo Yin.

Ele não caiu agora há pouco? Como ele pode estar aqui em cima tão depressa?

O diretor Zhang da sala de Segurança batia na porta raivosamente enquanto gritava, “Alguém não ligou para reportar que o professor desmaiou? Por que a porta está fechada? Abra, rápido!”

O professor de física estava chocado. Ele apressadamente baixou o livro para ir até a porta, e descobriu que ela não abria!

“Professor, a porta de trás também não está abrindo.”

O diretor Zhang olhou confuso para o papel pregado no puxador da porta.

Direitos autorais de Bai Luo Yin?

“Deixe-me abrir.”

Bai Luo Yin empurrou o colega para o lado e secretamente puxou uma fita de borracha de dentro da maçaneta. Logo a porta estava destrancada, mas o rosto enfurecido do Diretor Zhang estava encarando-o.

“Você é Bai Luo Yin?”

Bai Luo Yin hesitou por um segundo e, então, concordou.

“Venha ao meu escritório!”

Diretor Zhang rugiu com raiva, o que espantou qualquer sonolência de Bai Luo Yin.

“Amenizando, isso é chamado de vandalizar propriedade pública; rigidamente, isso mostra que você tem sérios problemas com seu pensamento e moral! Como você pôde passar um trote pedindo ajuda? Você acha que pode fazer o que quiser com aquela maçaneta? Você não é uma criança. Como pôde fazer algo tão infantil e imbecil?”

O ouvido de Bai Luo Yin começou a zumbir alto e sua cabeça estava uma bagunça, ainda assim ele sabia muito bem quem fizera aquela ligação. Ele amaldiçoou aquela pessoa, imaginando que ele tivesse uma perna quebrada causada por aquela queda.

“Você tem que pagar por danificar propriedade pública. Traga 100 yuan [N/T: aprox. R$54] amanhã.”

Bai Luo Yin ficou surpreso, “Por que eu tenho que pagar? Aquelas suas trancas não estão quebradas e eu posso retorná-las a condição original agora mesmo.”

“Você mexeu nelas, você deve pagar! Essa é a regra.”

“Minha família é pobre, não podemos pagar.”

“Você vandalizou propriedade pública e ainda está tentando se justificar? Você não pode pagar, mas você pode adulterar? E mais, você brincou sobre ‘direitos autorais’? Certo, você não vai pagar? Então me dê o número de seus pais. Eu vou pegar o dinheiro com eles.”

“Pegar o dinheiro com meu pai? É melhor você tentar pegar de mim.”

O diretor Zhang ficou ansioso, “Pare com essa besteira! Diga o número.”

Bai Luo Yin disse em voz alta uma série de números.

O telefonema finalmente completou. Da outra linha, a voz simples e honesta de Bai Han Qi respondeu.

“Quem é?”

“Eu sou o diretor de segurança da escola de Bai Luo Yin. Seu filho danificou duas trancas na sala de aula dele e eu quero que ele pague por isso. No entanto, ele me disse que sua família é muito pobre. Eu quero ouvir à que extensão é a pobreza de sua família para que você possa danificar coisas, mas não possa pagar por isso?”

“As trancas de nossa casa estão quebradas há quase cinco anos. Nós não trocamos nem uma, mesmo assim nenhum ladrão veio visitar nesses cinco anos. Qual você acha que é a extensão da pobreza de nossa família?”

O peito do diretor Zhang se moveu para cima e para baixo enquanto onda após onda de inspirações pesadas saiam.

Bai Luo Yin quase caiu na gargalhada. Realmente é verdade que quanto mais velho o gengibre é, mais picante ele fica.


Deixe um comentário