Voltei! ^^/

E agora vamos atualizar CA. =D

Só para avisar, a Anne finalmente (re)postou o capítulo de UL, então logo, logo eu trago ele pra vocês. ^^ Para quem não lembra ou não leu, a explicação da demora está AQUI. ;)

Vão ler. o/

Lena.
_______________________________________________


Cap. 85: Desafogando a frustração.




Visitando a familiar fazenda de cobras, sua alma mater [1], Wu Suowei podia ver que as coisas haviam mudado. Todas as salas de cobras estavam vazias. Odores nauseantes flutuavam pelo ar, caixas de cobras estavam empilhadas ao acaso nos cantos e tudo estava sujo e manchado. O chefe Wang, numa camiseta sem mangas, estava agachado debaixo de uma árvore tragando um cigarro com tristeza. A esposa desleixada dele estava de pé na porta da casa apontando para o Chefe Wang e gritando abusos.
[N/T1: Para quem não conhece, “alma mater” é uma expressão de origem latina que pode ser traduzida como “a mãe que alimenta/nutre”. Ou seja, esta é a fazenda em que WSW aprendeu a criar cobras.]
Em apenas três curtos meses, a anteriormente prestigiosa Fazenda de Cobras Wang havia se tornado a piada da indústria.
Isso começou quando a licença de negócio dele vou revogada, não apenas por causa de práticas ilegais, mas também porque oficiais da aplicação de leis que ele vinha pagando fora detido. Para juntar o dinheiro para pagar as enormes multas, ele não teve escolha além de vender os imóveis que ele tinha comprado com dinheiro sujo. Os antigos amigos agiam como estranhos, desprezando-o. Ele foi perseguido por coletores de débitos e traído por um aprendiz procurando pela oportunidade de se vingar... Chefe Wang e sua esposa passavam seus dias na miséria vivendo como porcos e cachorros.
Foi uma visão extraordinária, então, ver Wu Suowei chegando vestindo um terno de negócios e com um sorriso.
“Você veio para zombar de mim?” Os olhos do Chefe Wang se anuviaram.
Wu Suowei continuou sorrindo. “O que está dizendo? Eu vim visitar e lhe trazer algo.”
Um excelente Xinyang Maojian [2], uma edição de colecionador de Wuliangye [3]: Wu Suowei não poupara despesas por esse “mentor” altamente respeitado.
[N/T 2: chá verde da província de Xin Yang de Henan, um dos chás chineses Top 10; 3: uma marca premium de baiju, bebida alcoólica feita de grãos.]
Chefe Wang apenas olhou de relance para esse rosto do passado, seu tom era gelado.
“Leve isso embora. Eu não posso aceitar esse presente.”
“O que você quer dizer com não poder aceitar? É claro que você pode aceitar.” Wu Suowei apenas enfiou os presentes nas mãos do Chefe Wang e sorriu calorosamente. “Sem você, eu não teria mais de meio milhão em minhas mãos. Eu não teria um lote de cobras de alta qualidade prontas para ir para o mercado. Eu fui capaz de levantar a minha primeira rodada de capital sem nenhuma dificuldade graças a seu forte patrocínio. Esses são pequenos sinais do meu agradecimento, então você tem que aceita-los.”
Ele parou de sorrir e o canto de sua boca se contraiu. Sua expressão era feroz.
“Garotos, todos cometem erros, então você deve ser tolerante. Sua estrada ainda é longa. Você não sabe aonde ela leva.”
Wu Suowei estava calmo e tranquilo, olhando para o Chefe Wang. “Sim, ah, eu não tenho nem trinta anos. A estrada ainda é longa e, talvez, eu não saiba aonde ela leva, mas eu conheço a sua estrada – seria a mesma que agora.”
O rosto do Chefe Wang ficou escuro de repente e ele agitou seu punho para Wu Suowei.
Wu Suowei forçadamente agarrou o pulso do Chefe Wang com uma mão, seu pescoço rígido, seus olhos penetrantes. Eu não posso derrotar Chi Cheng, mas eu não posso lidar com você, seu velhote?
Chefe Wang sufocou e cuspiu antes de rosnar, “Me mate se quiser. Eu, Wang Zhong Xiang, não tenho medo nesses dias. Se você tiver a habilidade, vã em frente e coloque essas poucas salas no chão. Pode vir!”
“Você realmente entendeu mal.” Wu Suowei disse calmamente. “Você não lembra? Daquela vez que eu comprei 2.000 ovos de cobra de baixa qualidade de você, você me disse: algum dia, quando você ficar rico, não esqueça de mim. Mesmo que eu não seja rico agora, eu estou muito bem comparado com como eu estava naquela época, então não seria certo esquecer onde tudo começou. Eu vim aqui hoje porque mesmo um pequeno favor deve ser devolvido em dobro.”
O rosto do Chefe Wang endureceu até estar tão sem vida quanto um painel de ferro.
“Eu estou aqui para agradecê-lo por ter me ensinado uma lição.”
Tendo dito isso, Wu Suowei empurrou os presentes para o entorpecido Chefe Wang. Confiante e tranquilo, ele se virou e se distanciou com uma pequena energia em seus passos.
Sozinho na clínica aquela noite, Wu Suowei tomou um banho, vestiu sua velha camiseta esburacada e seu short florido rasgado e desfiado, e se acomodou confortavelmente em sua cadeira para ler Crayon Shinchan [4].
[N/T4: um mangá fútil, mas popular sobre Shinchan, de aproximadamente cinco anos, famoso por desenhar um elefante em seu pênis e sacudir seus quadris gritando “Zō-san, Zō-san!” (Zō-san = Sr. Elefante).]
Passos familiares foram ouvidos do lado de fora da porta.
Os olhos redondos e escuros de Wu Suowei se arregalaram. Ele rapidamente abriu a gaveta, jogou Crayon Shinchan lá dentro e tirou “Orgulho e Preconceito”. Então ele correu para a frente do armário e, em pânico, procurou por uma cueca e pijamas.
Na verdade, Chi Cheng esteve parado na janela olhando para dentro por um bom tempo e as roupas brega, material de leitura sem cultura e sorriso lascivo de Wu Suowei foram todos gravados com precisão pelos seus olhos.
Se Wu Suowei estava pensando que havia salvado sua imagem, ele estava muito atrasado.
*****

5 Comentários

  1. Kkkkkkkkkkkkkk, orgulho e preconceito

    ResponderExcluir
  2. a sua imagem já esta arruinada meu amigo

    ResponderExcluir
  3. Kkkkkkkkkkkkkkk ai como me identifico com wsw. Obrigada pelo capítulo

    ResponderExcluir