Continuando...


Zöish: Mai Ding mal começou a relação e já está todo exigente... Não aguento esse menino hahahahahahahaha

Lena: E não é, gente? Que isso! XD Mai Ding, tenha certeza de uma coisa, o An Ziyan realmente gosta de você para aturar isso. huahuahauhauhau

Zöish e Lena.


_______________________________________________


Capítulo 13: Seu dever como meu namorado.

Tradução/Inglês: Adrian Julian
Tradução: Geovanna Zöish
Revisão: Lena

Mai Ding se assegurou de que An Ziyan o deixasse em um ponto de ônibus longe de sua casa. Ele não queria que seus pais descobrissem sobre o relacionamento.
“Mai Ding.”
“Mmm Hmm?”
“Você pretende ficar comigo para sempre?”
Mai Ding ficou bastante surpreso com a pergunta. “Por que está me perguntando isso? Já está cansado de mim? Você pode matar esse pensamento. Eu vou continuar a persegui-lo nesta vida e na próxima.”
Quando se tratava de amor, Mai Ding era um amante persistente. Ele nunca vai desistir.
“Sua mãe e seu pai descobrirão cedo ou tarde.”
Era um tema pesado para discutir. Não é como se Mai Ding não tivesse pensado nisso antes. Ele sabia que para que os dois estivessem juntos, a vida não seria um mar de rosas. Por que os casais normais os aceitariam?
“Eu entendo onde você quer chegar [1]. Mas não há necessidade de apressar.”
[N/T: I understand where you are coming from* (lit. eu entendo de onde você está vindo) é uma expressão usada para mostrar que você entende o ponto de vista ou que a pessoa que dizer com algo.]
Mas antes que ele pudesse terminar sua teoria, An Ziyan o cortou, dizendo: “Quanto tempo você vai sentar aí? Rápido, saia do carro.”
Estava realmente ficando tarde. Mai Ding olhou para fora da janela, voltou seu olhar para An Ziyan, e depois rapidamente deu-lhe uma bitoca na bochecha.
“Boa noite, An Ziyan.” E com isso, saiu apressadamente.
An Ziyan não pôde deixar de sorrir para si mesmo, vendo quão tímido Mai Ding parecia mesmo quando beijando ele na bochecha. E, por outro lado, os olhos de Mai Ding nunca deixaram o carro. Foi só quando ele viu que o carro tinha desaparecido na escuridão, ele finalmente se virou para caminhar na direção de sua casa.
Uma onda súbita de solidão o dominou quando percebeu que An Ziyan não estava mais ao seu lado. A esse ponto, ele não poderia estar incomodado que a pessoa que ele ama fosse um cara. Ele também não estava incomodado que outros o vissem como um pervertido. Quando você se apaixona, tudo isso não importa mais. Mai Ding estava resoluto em seu amor por An Ziyan.
No dia seguinte, Mai Ding se matriculou para tirar sua carteira de motorista. Ele era realmente fiel à sua palavra! Ele fez isso por duas razões principais, é claro: uma, é para An Ziyan; dois, é pela segurança delas.
E como ele queria passar no teste o mais rápido possível, Mai Ding estava disposto a fazer aquela longa e árdua jornada até a casa de An Ziyan, esperando que ele pudesse emprestar o carro de An Ziyan. Mesmo que ele pudesse se sentir cansado, ele não ia admitir. Ele estava se sentindo animado pensando sobre a chance de dirigir o carro dele.
Quando An Ziyan viu aquele olhar de alegria no rosto de Mai Ding depois de abrir a porta, ele friamente perguntou: “Você de novo?”
“Quer dizer que não posso vir a sua casa? Enfim, meu caro colega de classe, você estaria disposto a me ensinar a dirigir? Desejo fazer o teste de condução em breve.”
“Qual é o objetivo?” An Ziyan disse enquanto caminhava para a cozinha para servir uma xícara de café, folheando os jornais enquanto o fazia.
“O que você quer dizer com isso? Você não respeita a lei. Se eu for capaz de dirigir, posso dirigir pra você por aí.”
An Ziyan franziu a testa. “O uke vai dirigir pro seme [2]?”
[N/T2: Uke dá e o Seme come... Mas acho que não preciso explicar... hehehe / Lena: AZ fez uma piadinha infame aqui. Ao mesmo tempo que significa “dirigir para” também faz alusão a uma posição sexual, ou seja, também poderia ser traduzido como “o uke vai montar o seme.” XD]
“O que há com esse tom? E você pode parar de ser um porco tão machista [3]?
[N/T3: Chauvinist pig (lit. porco chauvinista) - Um ser de sexo masculino extremamente nojento que usaria as mulheres como uma ferramenta sexual. Um porco chauvinista também acha que seu gênero é superior do que o outro, geralmente um homem que acha que pode fazer o que quiser a uma mulher. Os porcos chauvinistas são conhecidos por mostrar o comportamento arriscado como filmar por baixo das saias das meninas no shopping local, fingir que cai para agarrar uma teta das meninas, pedindo nudes na Internet e apostando em concurso de camisetas molhadas.]
“Não vou ensinar.”
“Mesmo que eu lhe implore?”
“Quanto vale isso?”
“Mas eu sou a pessoa com quem você vai ficar para sempre...”
“Erm, isso é um pouco cedo para dizer.” Parecia que nada que Mai Ding dissesse poderia persuadir An Ziyan.
Mai Ding examinou seus arredores. Ele viu que a casa de An Ziyan estava em uma bagunça. E Eureka!
“Meu querido colega de classe, e se eu disser que vou limpar sua casa por um mês se você me ensinar a dirigir?”
An Ziyan continuou a ler seu jornal, sem sequer olhar para Mai Ding. “Por que eu preciso que você faça isso? É só eu contratar uma empregada.”
Mai Ding pensou muito e, ao fazê-lo, torceu os dedos e não pôde evitar de corar. “E se eu dissesse que além do trabalho doméstico, você também pode fazer ‘aquilo’ comigo a hora que quiser?”
Desta vez, An Ziyan levantou os olhos e respondeu com naturalidade: “Temos um acordo.” [Lena: Uow! HUHUAHUAHAUHAU]
No final, a sedução funcionou. Mai Ding sentiu que seu namorado só estava com muito tesão. Mas foi Mai Ding quem pensou nisso em primeiro lugar. Então, quão inocente ele poderia ser?
Mas não importa o que, Mai Ding estava apenas animado que ele poderia finalmente dirigir. E quem sabe? Esse carro poderia até ser dele, pensou. E sim, ele pensava muito. Demais, na verdade.
An Ziyan estava sentado no banco do carona do veículo e ociosamente instruiu Mai Ding. “Ok segure o freio de mão. Pise na embreagem. Não pise no acelerador. E vire lentamente a ignição. Uma vez que tiver feito isso, lentamente solte o freio de mão e a embreagem e você pode então pisar no acelerador. E você está pronto para ir.”
Mesmo que An Ziyan passou por todos os detalhes, Mai Ding ainda se atrapalhou. Mas apesar da falta de jeito inicial, ele conseguiu fazer o carro ir devagar.
“Tudo o que você precisa fazer a seguir é virar o volante para a esquerda ou para a direita e isso deve ser tudo.”
“É assim que você ensina os outros a dirigir?” Mai Ding não estava satisfeito com sua lição.
Neste ponto, um carro apareceu na frente deles e Mai Ding entrou em pânico. Ele estava bem quando ninguém estava na frente deles.
“O que devo fazer agora, An Ziyan? Tem um carro na nossa frente. O que devo fazer?”
“Você só precisa ultrapassá-lo.”
Mai Ding conseguiu ultrapassar com êxito o carro à sua frente, mesmo que suas mãos ainda estivessem tremendo. Era a primeira vez que dirigia e já estava na rua.
Teria sido mais uma surpresa se ele não estivesse nervoso. Nesse momento, ele percebeu à distância que havia dois carros na sua frente. Ele começou a entrar em pânico novamente.
“Rápido rápido! Pegue o volante! Nós vamos bater! Não sei o que fazer!” Uma vez que ele começava a entrar em pânico, ele esquecia tudo.
“Você tem que se acalmar! Vire à esquerda agora.”
Mas esse conselho chegou um pouco tarde demais. Vendo que ele iria bater no carro, Mai Ding abriu a porta e pulou para fora. Felizmente, o carro estava viajando a uma velocidade muito lenta e assim sua lesão foi superficial. No entanto, para An Ziyan que ainda estava no carro, teve que ver o seu carro bater no outro, mas felizmente foi apenas uma leve colisão já que ambos os carros estavam viajando muito lentamente. [Lena: PQP! KKKKKKKKKKKK Ele acha que é um naufrágio?! HUAHAUHAUHAUHAU]
Mai Ding correu em direção ao carro. “Você está bem?”
An Ziyan olhou furioso para Mai Ding. Era o olhar mais frio que Mai Ding já recebera. O dono do outro carro estava se aproximando deles, já gritando: “Você está fora da sua mente de merda?! Você não tem a porra de um olho?! Você pode ver o quão arranhado está meu carro?”
Mai Ding curvou-se e pediu desculpas. “Eu sinto muito! Eu estava aprendendo a dirigir. Não foi intencional.”
An Ziyan saiu do carro, tirou um maço de dinheiro de sua carteira.  “Isso é suficiente?”
Era obviamente mais do que suficiente. O dono do carro olhou para o dinheiro à sua frente e então olhou para o rosto assustador de An Ziyan. Ele também notou Mai Ding ainda estava se desculpando com ele demasiadamente.
“Por favor, tenha cuidado no futuro. Se você está aprendendo a dirigir, é melhor escolher uma estrada que não seja muito movimentada.”
E foi assim que o assunto foi resolvido. An Ziyan pegou o celular e pediu ajuda.
“Olá? Tio Fu? Meu carro está atualmente a cerca de cem metros de distância da minha casa. Você poderia arranjar alguém para rebocá-lo?”
Uma vez que estava resolvido, os dois meninos estavam andando na direção da casa de An Ziyan.
“Você está zangado comigo, An Ziyan?” Mai Ding perguntou culpado.
“Não foi intencional, eu juro. Foi um momento de perigo. Você não pode me culpar por saltar do carro.”
An Ziyan virou-se para olhar Mai Ding nos olhos.
“Você não tem mais permissão para dirigir.”
“Por que não posso? Foi apenas um erro. Todo mundo comete erros. Não é um castigo muito duro?”
“Vá em frente e tente me desafiar.”
“Você está me ameaçando?”
“E daí se eu estiver?” Na Ziyan era firme, deixando Mai Ding sem opção senão obedecer. Mas uma vez que eles estavam em casa, An Ziyan pegou um saco de gelo do refrigerador e jogou-o em Mai Ding.
Enquanto tratava suas próprias feridas, Mai Ding casualmente mencionou.
“Já que você não vai me deixar dirigir, então nosso combinado acabou. Eu não vou limpar este lugar e... e nós não vamos fazer ‘aquilo’.”
“Besteira.”
Mai Ding sentia-se um pouco indignado. “Por que é besteira? Esses foram os termos do nosso acordo.”
“Você não pode retirar o que prometeu.”
“Mas você é que está voltando atrás em sua promessa primeiro!”
“Este sou eu. Você é você.”
“Que lógica você está usando? Já que você não pode cumprir sua parte do negócio, então por que eu deveria?”
“Mas meu querido Mai Ding, o que você prometeu fazer são apenas coisas que você deveria fazer de qualquer maneira. Esse é o seu dever como meu namorado.”
E até certo ponto, An Ziyan estava certo. Ajudar seu namorado, em todos os sentidos da palavra, era de fato um tipo de dever, uma espécie de responsabilidade. Essa era a sua lógica.
*****

8 Comentários

  1. se danou Mai Ding, bem feito quem manda ser tão chato...kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Lena abandonar o navio kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk rindo eternamente vc e demais por isso amos os comentarios de vcs kkkkk, vlw meninas 😘

    ResponderExcluir
  3. Kkkkk mds vou nem zoar porque do jeito que eu sou eu também iria pular do carro

    ResponderExcluir
  4. eles são fofos demais kkkkk obrigada meninas <3

    ResponderExcluir
  5. Eu também iria querer pular do carro..kkkkkkk... Mas sério, MD é maluquinho, mas AZ é tão maldoso, chega a ser cruel em suas palavras muitas vezes, por isso acho q combinam, só eles pra se aguentarem.... Lena, qndo vai ter atualização de CA? Saudades dos meus amores..

    ResponderExcluir
  6. Hahahaha ri muito c suas exigências hahaz💓 muitho amorrr

    ResponderExcluir
  7. Kkkkk não acredito que ele pulou do carro 😂😂😂😂 se bem que ate EU ja tive voltade de fazer isso na primeira vez que peguei no volante 😂

    ResponderExcluir