E voltei!

Com o último capítulo de hoje. ⌒°(❛ᴗ❛)°⌒  Eu pensei que poderia só postar os capítulos direto (já que estão quase todos traduzidos já), mas eu acabo dando uma olhada no capítulo inteiro antes, mudo a formatação, acabo fazendo correções e adicionando coisas, por isso acabo demorando mais do que deveria. haha (。→∀←。) Se der, amanhã trago mais dois junto com CA. ^^

Curiosidade: Nessas séries asiáticas, quando tem uma cena em que eles tentam reproduzir as batidas do coração de um personagem quando esta está muito nervosa, vocês já repararam como o coração não parece nada acelerado? Tipo, a ideia é mostrar como o coração da pessoa acelerou pela outra, mas nunca tá acelerado. hahahaha (#sófalandobesteirasaqui)

É isso, gente! Beijosss

Lena.

___________________________________________________



Capítulo 8: Confiança.

Tradução: Equipe Kokoro Lovers
Revisão: Lena.
---------------------------------------------


Eu acordei com algumas marcas vermelhas no braço.
Aposto que foi causa do shampoo de carro na noite passada. Droga, ele derramou muito em mim. Phun idiota. Meus braços de pele clara agora estão cobertos de manchas vermelhas. Não estou mais bonito.
Brincadeira! São marcas bem pequenas. =P Isso não é nada pra mim. Elas não podem arruinar minha boa aparência, haha! Espera, alguém acabou de me chamar de convencido? É melhor ter cuidado!
Falando em Phun, me lembrei de que deixei meu relógio na casa dele (tirei antes de lavar minha moto. Eu não queria que eu pobre Diesel [N/T: marca do relógio] molhasse). É melhor eu ligar para ele e pedir para que ele leve para a escola. Estarei morto se perder aquele relógio. Meu avô o comprou para mim na Austrália.
Eu pego meu telefone e ligo de imediato.
Eu tive que tentar duas vezes antes de ele finalmente atender. Estava pensando que ele já havia saído para a escola e não tinha escutado o telefone tocar. Mas então ele finalmente atendeu!
“Ei, o que foi, Noh?” Nossa, ele parece tão sonolento, isso está realmente me desanimando. Não me diga que ele ainda estava dormindo! Já passou das 7 horas!
“Você não vai para a escola? Por que ainda estava dormindo?” Eu repreendo-o pelo telefone, mas ele boceja em troca.
“Sim, eu não vou. Precisa de alguma coisa?” Eh?!
“Sim, eu deixei meu relógio ai.”
“Ah, sim. Eu o guardei para você. Posso levar pra você amanhã? Não acho que eu vá para a escola hoje.”
“Sim, claro. Por que não vai para a escola hoje?” Parece que estou me intrometendo, mas eu não podia evitar e tinha que perguntar. Ele é o secretário do conselho estudantil e um estudante de honra também, como pode ser possível ele ter decidido não ir para a escola por puro capricho? Especialmente quando estamos tão perto daquele torneio caótico de futebol. Acho difícil de acreditar.
Parece que há alguma hesitação no outro lado da linha (talvez eu esteja imaginando coisas?). Ele finalmente encontra as palavras. “Eu não me sinto muito bem. Podemos nos falar mais tarde? Estou com muito sono.”
“Claro, claro.” Eu desligo o telefone, mas isso ainda me incomoda.
Então ele não está se sentindo bem?
***
Meu Iphone me diz que já passa das 8h da manhã. Eu estou na frente da enorme mansão. Este é o terceiro dia consecutivo que venho a este lugar. Eu virei um fã deste lugar ou algo do tipo? -_-“
Então, o que devo fazer? Tocar a campainha? Eu fico pensando enquanto ando de um lado para o outro na frente do enorme portão de liga de prata. O que devo fazer? Já passou das 8h também. Eu só quero saber o que há de errado com ele e porque ele não vai para escola. Se não é o que eu suspeito, então eu vou para a escola depois que descobrir. Mas e se for o que eu estou suspeitando...?
Ugh! Eu só preciso ter certeza!
“Oh, khun Noh! Você veio visitar khun Phun?” A sorte está do meu lado esta manhã. Acontece que tia Noi estava andando por ali. Eu alegremente corro para o portão. “Sim, o que tem de errado com Phun?”
“Ele não está se sentindo muito bem. Por que você não entra, khun Noh?” Ela abre o portão menor para eu entrar. Eu a cumprimento corretamente antes de entrar.
“Então, o que há de errado com ele, tia?” Ela simplesmente me dá um sorriso gentil em vez de me responder.
Não me diga que você e Pang compartilham os mesmos ideais, tia... -_-“
“Você pode ir lá em cima e ver como ele está, khun Noh. Ele está dormindo em seu quarto.” Dane-se, elas podem pensar o que quiserem (já estou acostumado com isso agora). Eu aceno para ela antes de entrar na casa que eu já estou começando a me familiarizar.
O chão do segundo andar é tão brilhante de ser polido. A porta de madeira entalhada que vejo perto é do quarto de Phun. Eu ando direto para ela, paro bem na frente e fico pensando.
Eu deveria simplesmente invadir! Já cheguei até aqui mesmo. Giro a maçaneta e entro. Você esperava que eu batesse antes de entrar? Continue sonhando.
“Yo, Phun!” Eu digo em voz alta, sendo completamente insensível (e sem boas maneiras). Mas eu me calo quando vejo a pessoa para quem acabei de ligar dormindo profundamente na cama parecendo exausto.
Whoa, todo o corpo dele está vermelho como um caranguejo cozido (estou com fome). Então eu estava certo, afinal de contas.
Deixo a minha mochila e rapidamente vou até lá para ver como ele está.
A pele de Phun é normalmente bem clara com um tom amarelo misturado. Mas agora, sua pele está vermelha, como quando as pessoas ficam com irritações de alergia. Elas parecem com as marcas que eu tinha no braço quando acordei esta manhã. No entanto, as dele não está apenas nos braços, mas no corpo todo. Parece incrivelmente assustador e doloroso.
É bastante obvio de quem é a culpa. Eu fiz a escolha certa em passar aqui antes de ir para a escola.
Porque se eu acabasse descobrindo isso mais tarde, provavelmente me odiaria.
“Sua pele é muito irritadiça, mas você insistiu em ser idiota e começar a jogar sabão para todo o lado.” Eu reclamei para mim mesmo enquanto me sentava na cama dele. Eu olho e vejo pacotes de remédios para alergia que foram abertos e uma garrafa d’água. Eu acho que ele já tomou. É melhor que nada.
“Foi você que jogou sabão em mim.” Ah, ele não está dormindo?! Esse filho da puta é um espertinho.
“Você não estava dormindo? Por que você fingiu como se estivesse morto?” Eu me queixo, enquanto levanto minha mão para bater nele. Mas eu sinto pena do cara, então eu paro. O paciente avermelhado ainda tem energia para me dar um sorriso em troca.
“É legal da sua parte vir me visitar.” Hilário!
“Não... eu só vim buscar meu relógio.” Ele ri da minha resposta idiota. Que seja eu vou deixar ele escapar dessa vez. “Então, você tomou seu remédio?” Eu tento sorrateiramente saber como ele está.
“Seu relógio está ali, você deveria ir para a escola agora.” Ele está todo doente, mas ainda tem coragem de ficar esperto comigo. Maldito Phun.
Eu estreito meus olhos e o encaro. Eu me convenço a não machucar uma pessoa que já está doente, então eu ando para pegar meu relógio na penteadeira. Mas ao invés de sair, eu me sento no sofá longo do quarto dele. “Não, eu não estou com vontade. Eu vou ficar na sua casa em vez disso.”
Eu consigo ouvir as risadas dele. Isso me incomoda. Sabe, eu não estaria aqui se não fosse pelo fato de você estar assim por minha causa.
“Então, como você está? Está doendo em algum lugar?” Eu deixo de rodeios e pergunto como ele está. O paciente murmura algo com os olhos fechados.
“Apenas coceira. E em seu braço?” Ah, ele notou as marcas vermelhas no meu braço? Eu dou uma olhada e dou de ombros.
“Está bem, só coçando um pouco.”
“P’Ken talvez chute sua bunda por isso, eu ouvi dizer que ele é muito possessivo com ela [1].” Esse imbecil.

[N/T1: É um trocadilho. Noh diz “coceira” (Khan Noi). Então Phun faz uma piada sobre uma atriz chamada Noi Busakorn que é casada com Ken Theeradej.]
“Imbecil.” Eu sempre falo o que penso quando se trata de insultar alguém.
“Haha, use um pouco disso, ajuda bastante.” Ele aponta os dedos preguiçosamente para uma área perto da cama, mantendo os olhos fechados. Eu sigo os dedos e vejo um tubo de medicação antialérgica, então o pego e passo um pouco em meu braço.
“Você já passou isso?”
“Ainda não. Muita preguiça.”
“Então como você espera que melhore?! Passe um pouco!” Ele ordena as pessoas a fazer as coisas, mas nem ele mesmo fez. Eu fiquei lá e olhei para ele com um olhar exasperado no meu rosto.
Phun estica seu corpo uma ou duas vezes antes de se sentar na cama. Seu rosto costuma ser tão bonito com uma expressão relaxada, mas agora ele parecia inacreditavelmente descarnado. “Você pode fazer isso para mim? Estou com muita preguiça.” Eu sabia. As pessoas não dizem que você é um honrado estudante esforçado e tudo mais? Eu desafio aquelas pessoas para vir dar uma olhada nele agora. Mentiras, tudo mentira.
“Tudo bem, tudo bem. Tire sua camisa.” Eu digo a ele enquanto sento na beirada da cama com o tubo de medicação em minha mão. Eu espero ele tirar a camisa que revela manchas por todo o seu corpo. “Isto é um bocado.”
“É. Eu vou ter febre mais tarde.” Você pode ver o futuro? Eu acho que isso deve acontecer com frequência.
Eu aperto a pasta branca em minha mão. Eu demoro um segundo antes de decidir entrar de cabeça e espalhar a pasta por toda a costa de Phun. Eu consigo sentir calombos minúsculos em minhas mãos que eu não conseguia enxergar. “Isso tudo vai acabar só nessa sua costa gigante.” Eu o provoco só porque parece que não consigo terminar de passar em toda sua costa. Este idiota parece magro, mas tem uns ombros bem largos e másculos. [Lena: conte-me mais... ¬ω¬]
Phun ri do que eu disse antes de se virar para me encarar assim que eu finalmente terminei com as costas dele. “Cansado?” Essa bunda preguiçosa tem coragem de perguntar.
“Sim! Estou! Você pode passar na frente sozinho. Eu não quero te excitar nem nada assim.” Eu falo como uma piada, mas Phun olha pra mim com segundas intenções nos olhos.
“Eu já fiquei excitado.”
“Vai se fuder, então termina logo sozinho.” Ugh! Eu jogo o tubo para ele e consigo ouvir seu riso.
“Eu estava brincando! Termine logo de passar. Estou com frio.”
“Então por que diabos ligou o ar-condicionado tão forte? Você perdeu a cabeça ou algo assim?” Eu posso estar reclamando, mas já estou espremendo a pasta branca em minha mão, assim como ele pediu.
Há apenas o som do ar-condicionado preenchendo o quarto.
Eu não sei o que mais dizer a ele. E ele também não está exatamente me convidando para conversar também. Isso só me faz sentir mais estranhamente desconfortável. Eu admito, minha mão começa a tremer quando eu, por acaso, encontro os olhos dele logo antes da ponta dos meus dedos tocarem o peito dele.
Droga! Por que estou tão nervoso? Somos dois caras aqui. E ele não tem seios como do DVD que o Om baixou pra mim.
Eu tento contar até dez lentamente em minha cabeça enquanto espalho o medicamento no peito largo dele. É inegável que o físico de Phun é bem tonificado [Lena: Há! White não tem nada de Phun nesse ponto. Hahaha XD]. Ele é esbelto, mas não magrelo. Seus músculos não são tão grandes, mas não são tão pequenos também. Se não fosse pelo fato de ele ter placas vermelhas por todo o corpo nesse momento, aposto que qualquer garota o quereria se o vissem agora.
Eu continuo a espalhar o medicamento nele, já que tenho medo de que, se eu passar muito pouco, o remédio não vá fazer efeito. Minha palma se move desde os ombros para a barriga, então chego ao seu peito esquerdo.
Enquanto esfrego o peito dele, consigo sentir algo movendo violentamente por baixo.
O coração está batendo tão rápido, como se seu dono estivesse nervoso com alguma coisa.
Isso me faz franzir as sobrancelhas e paro minha mão em cima de onde o coração se localiza. Eu olho para cima e o encaro, mas ele está fingindo olhar para outro lugar. “Que? Isso está fazendo seu coração bater rápido?” Hahaha.
“Eu estaria morto se não estivesse batendo.” Escute só ele, ele ainda tem a coragem de discutir comigo. Ele pode ser bem engraçado quando está tímido.
Eu sorrio para ele antes de terminar. Então eu torço o mamilo dele porque parecia que eu podia simplesmente comê-lo. “Ow! Que diabos?!”
“Eu não pude evitar, agora volte a dormir. Coloque sua camisa de volta também, para não pegar um resfriado. Eu ainda preciso de alguém para cuidar do orçamento do meu clube.” Eu o ajudo a colocar sua camisa e vejo que ele queria me bater na cabeça com os nós dos dedos. Não posso evitar de rir.
“Eu vou dormir, fique à vontade para usar os videogames. Você pode descer e almoçar mais tarde, de boa.” Ele me diz antes de se envolver no edredom como uma criança faria. Então me afasto da cama dele e aceno com a cabeça.
“Eu vou ter uma febre mais tarde, se importa de cuidar de mim?” Ele murmura debaixo do pesado edredom.
“Tá.”
É uma sensação muito agradável ter alguém que confia em você, não é?

*****

7 Comentários

  1. LINDOSSSSS!!! To ansiosa pra ler o final. Amo esses dois

    ResponderExcluir
  2. Tudo bom?! Eu li esse capitulo avulsamente... Mas que pessoas lindas de fofura quero conhecer mais da historia vou ver a s
    novel/filme n sei oq eh né vou procurar pra saber mais e vou ler os capítulos antigos <3 esses dois são uns amores quero mais !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lena!! Obrigado!! Eu sei que tem outras traduções bem adiantadas mais prefiro acompanhar aqui <3 :p eu tbm quero ver a serie tem no Youtube?!

      Excluir
    2. A serie tem no youtube, a 1 temporada tem lengendado em pt mas a 2 não, eu assisti com legendas em espanhol. Mas tem para baixar no blog kokoro lovers.

      Excluir
  3. Vlw Lena!! Amo seus comentarios no meio das novel kkkk

    ResponderExcluir