Continuando...

Tadinho do Noh~ Tá com a consciência pesada... T^T  Não fica assim, Noh!!!


Lena.
____________________________________________


Capítulo 19: Nós temos.

Tradução: Equipe Kokoro Lovers
Revisão: Lena.
-----------------------------------------


Phun e eu estávamos bem acabados no tempo que terminamos de comer toda a comida e beber aquela única torre de cerveja. O quanto estávamos acabados? Bem, na última hora antes de sairmos do restaurante, eu fui no palco e mostrei minhas habilidades como presidente do clube de música através de um mini concerto com a banda. Tocamos 12 músicas (sim, uma dúzia). Eu toquei violão, cantei, toquei teclado, bateria e até mesmo o baixo. Eu toquei todos eles. Não querendo me gabar, mas eu consigo tocar todos os instrumentos tradicionais tailandeses, instrumentos de banda e instrumentos de orquestra. De que outra forma eu poderia ter o título de Presidente do Clube de Música? Hahaha. (Mas eu não teria feito isso se eu não estivesse tão bêbado. Lembrando agora, foi tão embaraçoso.)
Nós causamos uma enorme agitação quando entramos no restaurante, mas causamos uma agitação muito maior quando estávamos saindo Hahaha. Saímos de lá com o som das meninas universitárias gritando para nós, que mal podiam se manter sentadas. As músicas que tocamos mudou o conceito de restaurante regular para um pequeno bar em um piscar de olhos. Bem, cada mesa tinha bebidas em cima. Você não pode esperar que nós tocássemos músicas fáceis de ouvir ou as pessoas cairiam no sono.
Era quase meia noite quando pedimos a conta e percebi que o proprietário deu um desconto de mais da metade na nossa conta. Heh, eu queria saber quem foi o responsável por isso. Entre eu e meu short azul dando um mini concerto a todas as senhoras de Bang Saen ou Phun, que é visualmente tão impressionante que todas as tias e as meninas da universidade tiveram que chamar suas amigas, para que elas pudessem ver por si mesmas no restaurante.
De qualquer forma, saímos do restaurante com grandes sorrisos em nossos rostos. Phun dirige seu Honda de duas portas pela praia com o teto solar aberto, assim sou capaz de apreciar a linda lua.
Estou tão feliz que desejo que esta noite não acabe. Até o jogo Aponte as Diferenças tem uma opção de pausa. Por que na vida real não pode ter essa opção também?
Eu dou uma espiada no rosto do Phun, que também está cheio de sorrisos.
Nós dirigimos pela praia enquanto terminamos de beber 3 ou 4 latas de cervejas que compramos na 7-Eleven antes de nos registrar em um hotel. Apesar der ser caro para os padrões de Bang Saen, o Visa Golden Card do Phun não tem problemas com isso.
“Te pago de volta assim que eu tiver dinheiro.” Eu digo a ele com tapinhas no ombro enquanto chegamos ao nosso quarto. Eu posso ouvir seu riso antes dele me bater na cabeça.
Você sabe que se eu mijar na cama, você irá se molhar também, seu idiota?
“Não se preocupe, eu vou pegar do orçamento do seu clube.” O quê?! Isso não é legal! Eu olho feio para ele e parece que ele está fingindo que não está prestando atenção enquanto abre a porta com o número 17. Se eu pudesse pegar minha mochila e acertá-lo na cabeça, então eu teria feito isso. Mas a mochila é muito pesada e eu não quero machucar meus braços.
“Waaaah~ Isso é tão bom!~” Quando a porta se abriu, eu tirei a mochila e corri para abrir a janelas de vidro da sacada e deixar a brisa do mar me envolver. Enquanto isso, Phun está se certificando que a porta está bem trancada. Não sei se ele está com medo de alguém entrar ou está com medo de que eu tente fugir.
Eu fico na varanda curtindo a brisa do mar por um momento antes de sentir um par de braços quentes vindo por trás de mim e me abraçarem pela cintura com folga. Eu posso sentir o rosto de alguém descansar em meu ombro. Eu olho para o Phun antes de dar de ombros por diversão e ver sua cabeça saltar. “Ei! Nós acabamos de chegar e você já quer fazer aquilo? Sem chance, de jeito nenhum. Tarado.” Eu não queria dizer isso, eu só queria mexer com ele. He he.
“Você é o tarado, eu não fiz nada ainda.” Claro, sempre tem uma resposta vindo dele. Mas sua voz está abafada porque ele ainda está com o rosto enterrado no meu ombro. Dei risadas de sua resposta enquanto eu abaixava minhas mãos que estavam no parapeito da varanda até as mãos dele, para que pudesse segurá-las. “Então, qual é o problema?” Estávamos bem, então deve ter alguma razão para ele estar fazendo isso.
“Podemos ficar assim por um tempo...?” A voz de Phun soa tão frágil, que me faz perceber que é hora de parar de bancar o espertinho com ele. Eu inclino minha cabeça para descansar sobre a dele, permitindo que ele me abrace pelo tempo que precisar.
“Se eu começar a ficar com cãibra nas pernas, você vai se ver comigo.”
***
I could be brown, I could be blue, I could be violet sky. [Toque do cellular do Phun.]
Ficamos abraçados nesse local por muito tempo até o telefone preto começar a fazer barulho. Me viro e vejo o telefone Nokia vibrando em cima da mesa no meio de outros itens que ele tinha deixado lá.
Meus olhos seguem a pessoa vestindo uma camiseta verde de exército caminhando até o telefone. Mas parece que ele não tem a intenção de atender.
“Ei! Esse é o botão de desligar, idiota!” Eu grito com ele quando percebo que ele está quase tocando o botão de desligar do telefone em vez de atender. Eu vou até ele e acerto ele na cabeça para acordá-lo do transe. Ele imediatamente me acerta na testa em resposta. “Porque eu estou desligando ele, caramba.”
Mas não pense que eu vou deixar por isso mesmo. No final, lutamos pelo telefone, puxando para frente e para traz entre nós (que ainda está tocando). Eu pude ver de relance a tela. Estava mostrando uma foto de Aim. De repente sinto uma dor estranha. “É a Aim, por que você quer desligar?”
O dono do telefone rapidamente evita meu olhar.
Why don’t you like me? Why don’t you like me? Why don’t you walk out the door?
O telefone toca essas últimas linhas antes de finalmente parar. Phun aproveita a oportunidade para desliga-lo rapidamente.
Who can be nice at every hour? I’m a person, not a character in a drama on TV. [Toque do cellular do Noh.]
Eu olho para o meu iPhone que está tocando perto da minha mochila, que eu acho engraçado.
“O marido fugiu da esposa e agora todos estão tentando entrar em contato com ele. Heh heh.” Quando eu vou atender a chamada da Yuri, Phun — que é mais rápido que um macaco — tira o telefone da minha mão e o desliga. Ele me ignora e me deixa aqui de pé com a boca aberta.
“Ei, é melhor ter cuidado! É o meu telefone.” Há um toque de raiva na minha voz. Quem te ensinou a ter essas maneiras terríveis?
Mas parece que meu protesto não afetou Phun, de qualquer maneira. Seu rosto está completamente inexpressível quando ele cuidadosamente joga meu telefone em cima da cama. Eu estava prestes a abrir a boca para gritar com ele quando ele me agarra e me abraça muito forte.
Eu teria resistido se os ombros dele não tremessem tanto que está me assustando.
“O que foi, Phun?”
Há uma voz rouca vindo da pessoa tremendo que está me abraçando. “Podemos ser só nós hoje à noite...? Não vamos mencionar qualquer outra pessoa...”
“…………………..”
Eu fico olhando para a cabeça da pessoa que está me abraçando com tantas emoções misturadas. Mesmo eu me sentindo leve no peito, há uma tonelada de pensamentos dentro da minha cabeça. Eu estou tentando olhar para frente, mas eu sinto que não posso ver outra coisa além de um beco sem saída.
Verdade seja dita, eu sou a outra pessoa nesta situação. Phun e eu não podemos sequer usar a palavra “nós”. Não há nada acontecendo entre eu e ele. E nunca haverá nada acontecendo entre eu e ele. Não importa como Phun se sente sobre mim ou como eu me sinto sobre ele. Não importa o quanto esses sentimentos existam, tudo o que eu consigo ver na minha frente são Phun e Aim, que supostamente eram para estarem mais felizes do que eles estão agora.
Eu o abracei com força, mas está me doendo tanto que parece que estou abraçando uma durian espinhosa. Quanto mais eu o aperto, mas dor eu sinto. Está machucando tanto que eu não sei quanto tempo eu poderei continuar abraçando ele assim.
“Você não deveria estar tendo problemas com Aim por minha causa... sério.” Isto é o que eu mais quero dizer a ele neste momento.
Phun balança sua cabeça que ainda está enterrada no meu peito. “Eu não estou tendo problemas com a Aim por sua causa, e sim por minha culpa.” Sua voz está tremendo e está cheia de confusão. É como se ele estivesse vindo de alguém que não sabe mais o que fazer. Os braços enrolados em volta de mim estão tremendo. Eles estão me mostrando o estado espiritual de seu dono.
Eu sei que eu não deveria piorar as coisas para ele.
“Quais... tipos de problemas você está... tendo?” Eu pergunto porque eu quero saber a resposta. Mas ele fica em silêncio um instante antes de começar a falar.
“Eu sou um babaca. Eu já tenho a Aim, mas eu ainda fui atrás de você.”
“Babacas de verdade não se incomodam de chamar a si mesmos de babacas. Venha, vamos sentar e conversar?” Deixei escapar um suspiro quando eu o acompanho para sentar na cama.
Phun pressiona os lábios com força e olha para o lençol. Ele se recusa a levantar a cabeça para olhar para mim. “Ei... eu sinto... muito.”
“Por que está se desculpando? Me conte tudo.”
“Aim e eu... fizemos sexo...” Enfim, essas palavras saem dele. Apesar do fato de eu saber sobre isso, ouvir dele corta o meu coração profundamente 10 vezes mais do que quando eu ouvi da Yuri. Elas me atingem como um tijolo e me fizem sentir entorpecido da imensa dor. Eu encaro o vazio por um curto momento antes de olhar no rosto dele. “Tudo bem... o que mais?”
Phun dá outro suspiro profundo, mas desta vez ele levanta a cabeça e trava seus olhos nos meus. “Mas eu ainda não posso me conter... quando estou perto de você.” Tudo o que vejo, é angustia nos olhos dele. Não consigo evitar de me perguntar se Phun pode ver a mesma coisa em meus próprios olhos.
Aqueles lábios continuam a se mover apesar de eu começar a me sentir como se eu não quisesse mais ouvir o que ele tem a dizer. “Eu não posso simplesmente deixar a Aim. Mas com você, eu me sinto—... eu não sei mais o que fazer.” Nesse ponto, ele olha para baixo e aperta com força o lençol. Eu gentilmente coloco minha mão sobre o seu punho.
Porque eu sei que eu preciso ser a pessoa a fazer isso.
“Me escute...” Este é o desafio mais difícil que eu já enfrentei na minha vida inteira.
“Aim é uma mulher. Você não pode simplesmente deixa-la depois de todo esse relacionamento que vocês tiveram. Você precisa voltar e cuidar dela. Eu sou um cara. Eu não tenho nada a perder.” Eu pensei que o que eu estava dizendo era completamente normal, mas Phun levanta a cabeça tão rápido como se estivesse ouvindo uma história de fantasmas.
“Noh... pare de falar...” Há uma ponta de intimidação em sua voz, mas eu percebo que eu não posso ceder a ele. Eu continuo enfrentando este desafio cansativo, dando-lhe um sorriso.
“Vá encontrar um pouco de cola e você pode colar meus lábios e me calar então. Vamos apenas concordar em apenas deixar as coisas morrerem entre nós. Eu não estou muito preocupado com isso.” Eu digo a ele com um sorriso enquanto olho em seu rosto. Sua boca se abre como se ele quisesse dizer alguma coisa, mas ele é muito lento para mim. “Vou te dizer novamente. Eu não sou uma garota, seu bastardo.” Ele imediatamente agarra meus pulsos.
“Noh, você entende que a situação não tem nada a ver com isso? Não tem nada a ver com o que você é. Tem a ver com o que eu fiz. Noh, você não entende?!” Seus olhos estão olhando tão fixamente nos meus que eu estou com medo demais para desviar o olhar. Eu olho naqueles olhos pretos e opacos que, de repente, parecem tão pouco familiar. Os lábios de Phun continuam a se mexer. “Depois de tudo o que aconteceu entre nós... por favor, não me diga que você vai simplesmente embora...”
Eu rapidamente me liberto de suas algemas e desesperadamente forço a saída de um riso. “Hahaha... seu canalha. Não aja como um cavalheiro. Você está se convertendo ao Islamismo, para poder ter várias esposas ou algo do tipo?” Eu me sinto como se eu não tivesse mais energia, mas ainda preciso continuar a falar.
“E não se esqueça de que eu já tenho uma namorada também. Eu estou tão atolado com a coisa do futebol agora. Até Earn quer a banda para ajudar com um monte de coisas. Portanto, eu não tenho nenhum tempo livre para aceitar o trabalho de ser outra pessoa que você está namorando. É tão cansativo e eu nem sequer recebo por horas extras.” Não foi engraçado? Mas ele não está rindo de qualquer maneira. Eu forço uma risada para ele ouvir, embora eu esteja prestes a explodir em lágrimas.
Eu posso ler o que ele quer me dizer em seus olhos.
E eu sei que Phun pode ler o que eu estou tentando dizer dos meus olhos também.
Acho que não há nada mais faltando para ser discutido.
Phun e eu ficamos parados e olhamos para a cara do outro. Cheguei aos meus limites. Eu não posso suportar mais isso por mais tempo.
“Phun!” Eu grito seu nome enquanto me jogo sobre ele para abraça-lo com força. Ele coloca os braços hesitantemente em volta de mim. Neste momento, eu não tenho nenhum pingo de energia restando.
Eu só posso ouvir a voz de uma pessoa egoísta ecoando dentro do meu coração dizendo que eu não quero deixa-lo ir.
“Noh...?”
“Ei...”
“O que foi?”
“Por favor, não me solte... pelo menos até amanhã de manhã?”
Não leva muito tempo para se apaixonar, então porque é uma tortura tão grande quando é na hora que precisamos dizer adeus?
*****

7 Comentários